Melancia
Cultivo da melancia e as vantagens da utilização de sementes F1.

Atualmente a cultura da melancia é cultivada em diversos estados brasileiros, sendo um relevante segmento do agronegócio, constituindo uma das mais importantes hortaliças produzidas e consumidas no país (OLIVEIRA et al., 2015). O crescente consumo dessa hortaliça, indica um importante destaque da cultura para a economia brasileira, onde a expansão da área plantada gera inúmeras vantagens para o agronegócio e como resultado fortalece a cadeia produtiva da cultura (HORTIFRUTI BRASIL, 2021).

A adoção de sistemas mais eficientes de produção, como a utilização de bons materiais que proporcionem maiores produtividades, juntamente com a utilização de técnicas modernas de cultivo, contribuem para a expansão produtiva da melancia em diversas regiões brasileiras, no qual o plantio com sementes híbridas F1 propiciam vantagens para o cultivo dessa cultura (EMPRABA, 2014).        Segundo a Associação Brasileira do Comércio de Sementes e Mudas (ABCSEM) no Brasil, são produzidos em torno de 750 mil hectares de hortaliças, sendo 40% desse total destinado ao plantio de híbridos. As vantagens do plantio com uso de sementes híbridas F1 começam pelo alto leque de resistências a uma série de doenças que afetam a cultura, são sementes com alto padrão genético e alto potencial de produção, apresentando maior uniformidade de plantas e frutos, além da  resistência a intempéries climáticas (MELO et al., 2009).

Do ponto de vista mercadológico, ganha-se muito em qualidade final do produto, pois há agregação de valor em quesitos  como durabilidade pós colheita, coloração, textura e sabor dos alimentos. Vantagens que garantem e asseguram um produto diferenciado e com valor percebido nos diferentes elos da cadeia produtiva, até a chegada na mesa do consumidor (ABCSEM, 2021). Vale ressaltar, que sementes híbridas só possuem alto vigor e produtividade na primeira geração (F1). Uma segunda geração (F2 – sementes retiradas de frutos originados de plantas semeadas com sementes F1) de sementes pode resultar, dependendo do tipo do híbrido, em uma redução de até 40% na produtividade, além da perda de vigor, baixa germinação, grande variação entre plantas e redução da qualidade que acarreta em frutos com menor sabor e firmeza (EMBRAPA, 2011).

É notório que o custo-benefício e o desempenho agronômico que as sementes híbridas F1 apresentam aos produtores são maiores, seguramente pelo nível de produtividade que será amplamente superior com seu plantio, além de garantir aos consumidores um produto de melhor qualidade. Essas vantagens serão percebidas pelo produtor quando avaliar a performance financeira de sua lavoura. Assim, a efetividade da contribuição da semente é um investimento importante, que compensará todo o custo de produção ao longo do ciclo da cultura, onde o produtor terá o melhor em tecnologia, resistência e qualidade. Dessa maneira possuímos híbridos com elevado padrão genético que resultam em alto percentual de germinação, vigor e produtividade, que atende às exigências dos produtores garantindo o melhor para sua lavoura. Procure uma filial Araguaia mais próxima de você e conheça nossos híbridos de melancia (Manchester, Liverpool, Top Gun e Bahama) e nosso amplo portfólio de sementes de frutas e hortaliças.

 

Autor: Júlio Cesar de Lima Veloso – Assistente Técnico DM|HF Araguaia.

 

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DO COMÉRCIO DE SEMENTES E MUDAS – (ABCSEM). Híbridos ganham o mercado. Disponível em: <https://www.abcsem.com.br/noticias/71/hibridos-ganham-o-mercado>, acesso em 16 de agosto de 2021.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO- EMBRAPA. A cultura da melancia. Brasília, DF: Embrapa hortaliças, 2014. 294 p.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO- EMBRAPA. Milho : o produtor pergunta, a Embrapa responde. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2011. 338 p.

HORTIFRUTI BRASIL. Perspectivas para o mercado de melancia, produção de melancia em 2021. Disponível em: < https://www.hfbrasil.org.br/br/perspectivas-2021-melancia.aspx>, Acesso em 17 de agosto de 2021.

MALUF WR; FERREIRA PE; MIRANDA JEC. Genetic divergence in tomatoes and its relationship with heterosis for yield in F1 hybrids. Revista Brasileira de Genética, 1983, 6: 453-460 p.

MELO P. C. T. A qualidade das sementes e o desempenho superior demonstrado pelas cultivares híbridas têm contribuído para a melhoria no perfil da olericultura nacional. Revista Cultivar HF, 2009, 8: 31p.

OLIVEIRA, L.M.DE, CAVALHEIRO, V.B.D., MORAES, D.M.DE, TILMAN, M.A.A., SCHUCH, L.O.B. Medição do CO2 como método alternativo para a diferenciação do vigor de lotes de sementes de melancia. Ciência Rural, 2015, 45, 606-611p.