Tomate 3-min
CUIDADOS ESPECIAIS NO MANEJO DO TOMATEIRO NO VERÃO

As chuvas, estão entre as maiores preocupações dos produtores de tomate no período de verão, já que impactam diretamente na produtividade e qualidade dos frutos. O excesso de umidade, característico do plantio de verão, torna a planta de tomate mais vulnerável à incidência de doenças causadas por bactérias e fungos, uma vez que essas condições são favoráveis a proliferação desses patógenos.

A incidência de doenças bacterianas é maior em períodos quentes e chuvosos porque estes patógenos são dependentes de água livre durante os processos de penetração, colonização, infecção e disseminação.

 

Entre as principais doenças bacterianas do tomateiro estão:

  • Mancha-bacteriana (Xanthomonas spp.);
  • Pinta-bacteriana (Pseudomonas syringae pv. Tomato);
  • Murchadeira (Ralstonia solanacearum);
  • Podridão mole dos frutos e talo-oco (Dicheya chrysanthemi e Pectobacterium spp);
  • Cancro da parte aérea e murchas vasculares (Clavibacter spp.).

Já, a incidência de doenças fúngicas é favorecida pelo excesso de umidade que beneficia a esporulação, germinação dos esporos, disseminação e infecção. Outro ponto importante é a redução da eficiência do controle químico nesse período, devido a dificuldade do produtor de entrar na lavoura com máquinas e equipamentos para pulverização e pelo excesso de chuva que lava os produtos aplicados, sobretudo de fungicidas de contato.

Entre as principais doenças fúngicas do tomateiro estão:

  • Mancha-de-septória (Septoria lycopersici);
  • Pinta-preta (Alternaria solani e Alternaria alternata);
  • Mancha-cinza (Stemphylium solani e S. lycopersici);
  • Mancha-alvo (Corynespora cassiicola);
  • Murcha de fusarium (Fusarium oxysporum);
  • Murcha-de-verticilio (Verticillium dahliae);
  • Mela-de-rizoctonia (Rhizoctonia solani);
  • Murcha, requeima e podridões (Phytophthora spp).

É fundamental que o produtor de tomate adote uma série de medidas que previnam impactos negativos na produção.

O uso de variedades resistentes é o método mais adequado de controle de doenças no período verão. As variedades de tomate indicadas para o plantio em épocas chuvosas devem apresentam o maior número possível de genes/fatores de resistência aos patógenos. A tolerância às rachaduras, bom pegamento de frutos em altas temperaturas e tolerância ao encharcamento também são importantes atributos de cultivares para verão que devem ser observados na tomada de decisão.

Outras medidas podem ser adotadas pelo produtor afim de se reduzir os impactos negativos dessas doenças na cultura, tais como:

  • Rotação de culturas, principalmente com não solanáceas;
  • Uso de sementes e mudas de elevada sanidade;
  • Escolha criteriosa da área de plantio;
  • Restrição de acesso de implementos utilizados em áreas contaminadas;
  • Limpeza de ferramentas de desbrota;
  • Restrição do trânsito de pessoas;
  • Eliminação de plantas doentes;
  • Utilização de canteiros mais altos (redução do excessivo encharcamento do solo);
  • Aplicação preventiva de fungicidas e bactericidas registrados no MAPA.

O plantio de tomate durante o verão é uma atividade de enorme risco, porém com possibilidade de grande retorno financeiro, proporcionado pelo aumento dos preços. Pensando em superar os inúmeros são os desafios enfrentados, desde o plantio até a colheita da lavoura, a ARAGUAIA oferece um portfólio completo de sementes hibridas de tomate, de alta tecnologia, que agregam mais qualidade, segurança e produtividade ao seu negócio.

Texto: Miquéias de Oliveira Assis –Assistente Técnico | DM HF

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

QUEZADO-DUVAL, A. M.; REIS, A.; INOUE-NAGATA, A. K.; CHARCHAR, J. M.; GIORDANO, L. de B.; BOITEUX, L. S. Cuidados especiais no manejo da cultura do tomate no verão. Brasília, DF: Embrapa Hortaliças, 2007. 5 p. (Embrapa Hortaliças. Comunicado Técnico, 43).

LOPES, C. A.; ÁVILA, A. C. Doenças do tomateiro. Brasília: Embrapa Hortaliças, 2005. 151p.