RECOMENDAÇÕES PARA O PERÍODO DE TRANSIÇÃO DE ÁGUAS PARA A SECA


  • 11/05/2121

Recomendações para o período de transição de águas para a seca

    O principal sistema de produção de carne e leite no Brasil é baseado no pasto, sendo a fonte mais barata de alimento para rebanho. Durante o ano temos muitas variações quanto a qualidade nutricional das pastagens, muito em função do ciclo de maturação de cada forrageira, reduzindo assim sua digestibilidade e consumo de matéria seca.


    Durante a transição do período de águas onde a forrageira se encontra com altos níveis nutricionais, boa oferta de forragem contribuindo para bons desempenhos produtivos, para a fase mais crítica do ano (seca), na qual há a redução do conteúdo de nutrientes e disponibilidade de forragem, as pastagens terão declínio gradual de sua produtividade e valor nutritivo. Dessa forma é fundamental que o produtor tenha muito bem em mente todo o planejamento estratégico do ano evitando surpresas e quedas nos desempenhos produtivos da propriedade.


    A ordem é planejar, planejar e planejar!

    Dessa forma a Araguaia juntamente com toda a sua equipe técnica de pecuária traz 10 recomendações para que o produtor tenha excelentes desempenhos tanto produtivamente quanto economicamente.


    1. Conheça bem o seu rebanho

    Entender quais são as suas categorias e quais os objetivos traçados para todos facilitará a tomada de decisão de como manejar os animais. Com estratégias de envio dos mesmos para o confinamento, semiconfinamento, abate a pasto, venda de bezerros, descarte de vacas.


    2. Realizar o diferimento das pastagens

    No final da estação chuvosa realizar a vedação de algumas pastagens para acúmulo de massa de forragem para o período mais crítico do ano (secas), garantindo suporte para este período.


    3. Redução da carga da fazenda e dos pastos

    Trabalhar com a carga e lotação ajustada em função da qualidade e suporte das pastagens para que não se comprometa toda produção e sustentabilidade do sistema, para isso, respeitar a altura de entrada e saída das pastagens será fator primordial. Considerando manter massa de forragem suficiente para suporte na seca e condição de reestabelecimento no início das próximas chuvas.


    4. Ajuste da suplementação para o período de transição


    Nesta fase a qualidade nutricional das pastagens começa a reduzir, consequentemente a digestibilidade da forragem cai, impactando diretamente no desempenho do rebanho. Com isso, iniciar o fornecimento de um suplemento adequado para o período será fundamental para boa produção de carne e leite.


    5. Redimensionamento dos cochos de sal e limpeza dos bebedouros

    O aumento da área de cocho é primordial para que todos os animais tenham acesso a suplementações crescentes, garantindo mineralização geral do lote. Para este ajuste é preciso considerar principalmente o tamanho do lote, tamanho do pasto, tipo de suplementação. 

    Atentarmos a qualidade e abundância de água é outro elemento muito importante no desempenho do rebanho, boi que não bebe água não ingere capim, consequentemente não ganha peso, vaca que não bebe água não produz leite, dessa forma realizar a limpeza dos bebedouros é imprescindível para bons desempenhos.


    6. Uso da integração lavoura-pecuária


    Muitos produtores que possuem produção de grãos podem usufruir destas áreas de palhada, com plantio de forrageira que vai estar com boa qualidade nutricional, no momento em que as pastagens estiverem em declínio nutricional e de produção.


    7. Garanta boa cobertura de solo

    Manejando bem a pastagem respeitando os momentos certos de entrada e saída, juntamente com a carga/suporte de cada pasto, irá garantir que parte do que foi produzido de forragem no período das águas retorne ao sistema em forma de palhada (resíduo de solo). Estudos mostram que esta palhada reduz temperatura de solo, eleva a matéria orgânica ao passo que retém mais água e nutrientes, com isso iremos proporcionar condições melhores para que planta enfrente melhor períodos de veranicos ou prolongamento de seu uso com qualidade nutricional.


    8. Adubação e correção do solo

    A adubação e correção dos pastos nas águas irá contribuir para uma maior produção de forragem, aumentando o suporte da fazenda, prolongando o uso desta forrageira.


    9. Qualificação e engajamento dos colaboradores

    Equipe bem treinada e bem engajada, conhecendo bem todos os objetivos e estratégia da fazenda irá contribuir muito para o bom manejo, frequência e constância do fornecimento de suplementação, controle sanitário, pontos de extrema importância do sucesso da atividade.


    10. Planejamento anual


    A visão de longo prazo irá antecipar possíveis problemas relacionados com adversidades climáticas como veranicos, facilitando a tomada de decisão do que irá ser feito com cada categoria. Estar bem preparado com os objetivos bem traçados será fundamental para passar os períodos de transição e seca com tranquilidade, obtendo elevados ganhos produtivos tanto de carne quanto de leite.

    Saber o que está fazendo fará toda a diferença para o sucesso do produtor, estudo da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), aponta que 50 % dos pecuaristas podem deixar o campo nos próximos 20 anos. Estar dentro da outra metade requer aplicação de tecnologia, treinamentos de mão de obra, planejamento e tomadas de decisões acertadas com o auxílio de assistência técnica.


    A Araguaia pode te ajudar, pois conta com uma equipe técnica bem especializada, com atuações bem presentes na agricultura, hortifruticultura e pecuária, buscando sempre o seu sucesso! 

    Nos procure e venha conhecer todo o nosso portfólio alinhado com atendimento de qualidade, para que você produtor seja referência em sua atividade.



Autor: Filipe Barros de Oliveira – Engenheiro Agrônomo – Esp. Manejo de Pastagem, Coordenador Técnico de Pecuária.

Referências: 

J.B.M.P. Lima1 , N.M. Rodríguez 2 , G.B. Martha Júnior3 , R. Guimarães Júnior3 , L. Vilela3 , D.S. Graça2 , E.O.S. Saliba2.  Suplementação de novilhos Nelore sob pastejo, no período de transição águas-seca

Barbara Juliana Martins Lemos1 , Flávia Martins de Souza1 , Alex Pereira de Oliveira1 , Rayanne Galdino de Menezes1 , Rodrigo Medeiros da Silva1,2.  Terminação de bovinos a pasto - PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia

Sales, Maykel Franklim Lima.  Suplementos múltiplos para recria e terminação de novilhos mestiços, em pastejo, durante os períodos de transição águas-secas e seca

CANAL RURAL - Aconteceu em 2020: Embrapa projeta que 50% dos pecuaristas podem deixar a atividade até 2040. Disponível em https://www.canalrural.com.br/noticias/pecuaria/boi/aconteceu-em-2020-pecuaristas-fora-atividade-2040




Receba novidades no seu e-mail

Seu nome:
Seu Email:
Mensagem: